Notícias e eventos
Know-how

Entenda como reduzir custos através da manutenção preventiva de máquinas agrícolas

Uma das formas de melhorar a rentabilidade nas propriedades agrícolas é reduzindo os custos de produção. E dentro desses custos está a manutenção de máquinas agrícolas, que normalmente é negligenciada, e que, apesar de não ser um custo fixo, é um gasto constante e deve ser observado.

Vista lateral FIGHTER

Desde as grandes propriedades até os pequenos produtores, o uso de maquinário agrícola é cada vez mais frequente e importante para ganho de produtividade no campo, além de garantir sustentabilidade devido a demanda cada vez mais alta de alimentos de qualidade.

Você já imaginou quanto custa um dia do seu negócio parado? Aí que entra a manutenção preventiva, para que a produção não pare e evite gastos maiores com consertos no futuro.

 

Mas o que é a manutenção preventiva?

Como o próprio nome sugere ela busca prever problemas e evitar manutenções corretivas, que têm o objetivo de corrigir.

E qual é melhor?  Fica claro que a manutenção corretiva apresenta custos elevados, pois, além do maior tempo de parada do equipamento, implica gastos significativos com peças de reposição. Por outro lado, a manutenção preventiva, representa menores custos com material e serviços.

Quando ela é feita periodicamente, a vida útil das máquinas e equipamentos é prolongada, dessa forma, aumentando a produtividade e garantindo mais aproveitamento de recursos.

 

Principais benefícios

  • Redução de custos
  • Maior segurança para os profissionais
  • Aumento da durabilidade dos equipamentos
  • Maior produtividade na lavoura
  • Melhor uso de recursos

Motor MWM

Como fazer a manutenção preventiva

Primeiramente temos que identificar todas as máquinas e equipamentos que receberam cuidados regulares. Após feito isso, descrever para cada um dos itens quais serão as manutenções realizadas e de quanto em quanto tempo será feita.

O conceito é simples, montar em uma planilha todas as manutenções que serão realizadas em tal período. Porém, na prática. é sempre um pouco mais difícil de executar, principalmente em pequenas propriedades, onde não existem processos claros e bem definidos.

O primeiro passo, então, é definir quais serão as máquinas e equipamentos que receberão manutenção preventiva. Feito isso, agora liste todos os itens de cada máquina que serão analisados.

Alguns itens comuns:

  • Nível de fluidos (cárter, transmissão, radiador etc.);
  • Pressão e estado de conservação dos pneus;
  • Filtros de ar;
  • Pontos de engraxe;
  • Sistemas elétricos (partida, luzes etc);
  • Correias e tensionadores;
  • Baterias.

Pronto, agora você já já tem as máquinas e os itens que serão verificados em cada máquina, precisamos definir qual será a periodicidade.

Ela pode ser definida por períodos, 3 meses, 6 meses, ou também por uso, após 250h de uso, 500h, etc.

E para finalizar o seu processo de manutenção preventiva, só falta definir quem será o responsável por cada manutenção. Dessa forma você tem um processo completo e vai reduzir muito as dores de cabeça e custos lá na frente.

Confira um exemplo de tabela de manutenção preventiva:

tabela manutenção

Dê preferência para peças originais

Utilizar peças paralelas pode colocar em risco o operador e também causar mais danos ainda ao equipamento ou máquina. As peças originais apresentam maior durabilidade além de serem confiáveis e garantidas pela fabricante. Você já está fazendo a manutenção preventiva para evitar futuras dores de cabeça, é melhor garantir nessa etapa do processo também.

Treinamento qualificado

Um ponto importante é que se a manutenção for feita internamente, na sua propriedade, lembre de oferecer treinamento especializado para os operadores, um local e equipamentos adequados para realizar com segurança e eficiência.

Pense na manutenção preventiva como um investimento na sua propriedade e não esqueça de colocar tudo no papel, analise os indicadores e custos de cada operação.

 

Outros notícias

Todas notícias